O senhor é meu pastor e nada me faltará...


anjos - Recados Para Orkut

"Educar com amor".

"Educar com amor".

Um cantinho especial para uma boa e agradável conversa!!!

domingo, 8 de maio de 2011

PEDAGOGIA DE PROJETOS: PASSO A PASSO.


PEDAGOGIA DE PROJETOS PASSO A PASSO.
Thereza Cristina Bordoni

É mestranda em Políticas Educacionais, professora da Rede Municipal de ensino de Belo Horizonte e consultora educacional em implementação do projeto político-pedagógico .
Para que o aluno seja sujeito de sua própria aprendizagem, uma boa estratégia é usar a Pedagogia de Projetos que deve ter todas as etapas bem-planejadas.
Projeto da semana, projeto do mês, projeto interdisciplinar, projetos temáticos, projetos institucionais... Desde a publicação dos Parâmetros Curriculares Nacionais e dos Referenciais Curriculares para Educação Infantil, com as orientações do Ministério da Educação para a Educação Infantil, o Ensino Fundamental e Médio, a palavra de ordem na coordenação pedagógica, na sala de professores e na sala de aula, é projeto.
Novidade para alguns e prática já tradicional em muitas escolas do país, a proposta de tratar conteúdos por meio de trabalho coletivo e multidisciplinar, no lugar da aula expositiva, tomou conta de todas as reuniões de planejamento escolar. Afinal, é uma das melhores maneiras de motivar os alunos, dando-lhes oportunidade de descobrir e construir o conhecimento.
Optar por um trabalho cooperativo, pela Pedagogia de Projetos, é efetuar uma escolha de postura educacional. É retirar do adulto as decisões sobre o que, como e quando trabalhar o conteúdo, e compartilhá-las, discuti-las e organizá-las com o grupo. É permitir às crianças que construam o sentido de sua atividade de aluno.
Para que o espaço escolar possa ser um espaço significativo de aprendizagem, é preciso transformá-lo em um ambiente cooperativo, onde o educando possa criar suas estratégias de interação e aprendizagem.
A Pedagogia de Projetos tem como pressuposto básico a ação do aluno sobre seu processo de aprendizagem, permitindo assim, que ele:
não dependa somente da escolha do adulto;
decida e se comprometa com o que foi escolhido para trabalhar;
possa projetar-se no tempo, planificando suas ações e aprendizagens;
torne-se responsável;
seja sujeito de sua aprendizagem, produzindo algo que tenha significado e utilidade.
Mas o fato de os projetos terem todo esse potencial não é garantia de sucesso. Se não houver um planejamento cuidadoso, previsão de recursos e, principalmente, interesse e compromisso por parte dos alunos, qualquer esforço pode resultar em desperdício de tempo.

DICAS VALIOSAS NA MONTAGEM DE UM PROJETO:

Planejamento é o segredo para um projeto dar certo - Mas lembre-se: o projeto não nasce exclusivamente da cabeça do professor ou coordenador.
Ele é resultado da interação entre o professor e os alunos. Por isso, o planejamento deve ser revisto a partir da apresentação do tema aos alunos e a cada etapa do trabalho.
Apresentação ao professor - Antes de levar o projeto à sala de aula, é necessário compartilhá-lo com todos os professores participantes. O coordenador expõe a idéia do projeto e verifica qual é a área de interesse e de domínio dos professores. A partir daí, eles traçam os caminhos possíveis para a sequência do projeto e os objetivos a serem alcançados no final.
Dica - O projeto surge da necessidade/vontade, de conhecer ou transmitir determinados conteúdos e assuntos. Coordenadores e professores debatem quais são os assuntos a serem trabalhados e de que forma o projeto pode ajudar no desenvolvimento dos conteúdos previstos.

O quadro de cognição é um instrumento útil para uma visualização geral do projeto.

O que sabemos
O que queremos saber
Como vamos saber
O que vamos fazer
Quando vamos fazer

Apresentação aos alunos - É a vez de os alunos tomarem contato com o projeto. O tema deve ser significativo, isto é, deve estar relacionado com a vida ou com os interesses naturais dos alunos. A primeira etapa corresponde à ampliação do significado do tema a ser trabalhado. Uma maneira simples de conseguir essa informação é perguntar aos alunos o que sabem a respeito, anotando os comentários.
Dica - Esteja atento ao burburinho da sala de aula, para perceber os vários temas de interesse para a turma.
Se for o caso, pesquise o tema com os familiares ou com a comunidade. Eles também podem fazer parte da primeira sondagem. Em séries iniciais, o próprio professor pode elaborar uma folha de perguntas sobre o tema, para que cada aluno leve para os pais responderem.
Sensibilização - É o momento detonador do projeto. Procura-se despertar o interesse pelo tema, com filmes, palestras ou qualquer outro atrativo. O objetivo é que os alunos levantem questões e situações-problema. Pode durar duas ou três aulas.
Monte com os alunos o quadro de cognição.
Planejamento detalhado - Após o levantamento das perguntas dos alunos sobre o tema, o professor faz um novo planejamento. As questões a serem abordadas são agrupadas por tópicos, como os capítulos de um livro. Estes, por sua vez, vão compor um índice de assuntos.
Dica - É fundamental que os professores tenham clareza das etapas a serem cumpridas e dos objetivos a serem alcançados. Desta forma, os alunos saberão por que e para que estão realizando o projeto.

Faça um cartaz do quadro de cognição e coloque em lugar visível para todos.
Pesquisa/Levantamento de dados - Divididos em grupos, os alunos começam a pesquisar os assuntos. As fontes são diversas: internet, jornais, revistas, livros, TV. Eles também podem escolher pessoas para entrevistar (historiadores e economistas, por exemplo). Cada aluno deve ser orientado a manter uma pasta-arquivo individual. No final, cada grupo monta um dossiê do trabalho. Esse dossiê mostrará a evolução do grupo: o que os alunos sabiam anteriormente e o que eles aprenderam.
Dica - É importante selecionar muito bem o material de pesquisa, para que seja de fácil acesso e entendimento.
Desenvolvimento - Essa etapa do projeto vai depender de cada turma. Um mesmo projeto, por exemplo, pode ter um desenvolvimento diferente em duas classes. É o momento em que os alunos coletam mais informações, fazem visitas ou entrevistas e estruturam o trabalho final.
Dica - É fundamental estabelecer um horário semanal para que um professor fique de plantão para tirar dúvidas, acompanhar o que cada grupo vem fazendo e ajudar a redirecionar as pesquisas, se necessário.
Trabalho final - É feito em grupo e vai mostrar a síntese do aprendizado ao longo do projeto. Pode ter formas diversas, como um jornal, uma produção em vídeo, uma apresentação teatral. A decisão sobre o que fazer fica por conta dos alunos. É mais interessante que o projeto também seja exposto a outras pessoas que não participaram de sua elaboração (colegas, professores, pais e comunidade).
Dica - O ideal é que cada grupo de trabalho tenha de três a quatro alunos. Quanto mais heterogêneo o grupo, melhor. Diferenças produzem divergências positivas.
Avaliação - A base da avaliação é a participação do aluno em todas as etapas do trabalho, mas o mais importante é que os critérios sejam claramente expostos no início do projeto. Serão avaliados vários aspectos, entre os quais o empenho na busca e seleção de informações, a participação nas discussões e o desvelo na elaboração do trabalho final. Todos os participantes do projeto (inclusive professores) devem fazer sua auto-avaliação.
Dica - O aluno deve ter conhecimento de como será avaliado. Uma alternativa é utilizar a avaliação aberta. Assim, o aluno toma consciência de como está seu desempenho durante o projeto.
A Pedagogia de Projetos permite viver numa escola alicerçada no real, aberta às múltiplas relações com o exterior. Vida cooperativa da aula e projetos...projetos referentes à vida cotidiana, projetos-empreendimentos, projetos de aprendizado, cooperativamente construídos, cooperativamente avaliados.

Bibliografia:
JOLIBERT, Josete. Formar ninõs lectores de textos. Chile: Hachete, 1991.
ALBA, Alicia. Curriculum: crisis, mito y perspectivas. México: UNA, 1991.OS: PASSO A PASSO.

Fonte:http://cmeirosalbadias.blogspot.com

Nenhum comentário: