O senhor é meu pastor e nada me faltará...


anjos - Recados Para Orkut

"Educar com amor".

"Educar com amor".

Um cantinho especial para uma boa e agradável conversa!!!

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Oração de agradecimento. Se aproxime de "DEUS".


Senhor Deus, dono do tempo e da eternidade, Teu é o hoje, o amanhã, o passado e o futuro.
Ao acabar mais um dia, quero Te dizer obrigado por tudo aquilo que recebi de Ti. Obrigado pela vida e pelo amor, pelas flores, pelo ar e pelo sol, pela alegria e pela dor, pelo o que foi possível e pelo o que não foi.
Ofereço-Te tudo o que fiz, o trabalho que pude realizar, as coisas que passaram pelas minhas mãos e o que com elas pude construir.
Apresento-Te as pessoas amigas, as amizades novas e os antigos amores.
Os que estão perto de mim e aqueles que pude ajudar, as com quem compartilhei a vida, o trabalho, a dor e a alegria.
Mas também, Senhor , hoje quero Te pedir perdão.
Perdão pelo tempo perdido, pelo dinheiro mal gasto, pela palavra inútil e o amor desperdiçado.
Perdão pelas obras vazias e pelo trabalho mal feito, perdão por viver sem entusiasmo. Também pela oração que aos poucos fui adiando e que agora venho apresentar-Te, por todos os olvidos, descuidos e silêncios, novamente Te peço perdão.
Que os próximos dias sejam sempre abençoados.
Paro a minha vida diante do calendário e Te apresento meus dias, que somente Tu sabes se chegarei a vivê-los.
Hoje, Te peço para mim, meus parentes e amigos, a paz e a alegria, a fortaleza e a prudência , a lucidez e a sabedoria.
Quero viver cada dia com otimismo e bondade, levando a toda parte um coração cheio de compreensão e paz.
Fecha meus ouvidos a toda falsidade e meus lábios as palavras mentirosas, egoístas ou que magoem.
Abre sim, meu ser a tudo que é bom.
Que meu espírito seja repleto somente de bênçãos , para que as derrame por onde passar.
Senhor, a meus amigos que lêem esta mensagem, enche-os de Sabedoria , Paz e Amor. Enche-me, também, de bondade e alegria , para que todas as pessoas que eu encontrar no meu caminho possam descobrir em mim um pouquinho de Ti. Dá-nos sempre dias felizes, e ensina-nos a repartir felicidade. Amém!

Autor desconhecido.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Tipos de Alunos...Que maldade!!!


Aluno religioso: sempre que ele vem você diz: Pelo amor de Deus!

Aluno matemático: ele sempre te faz contar até 10 pra não perder a paciência.

Aluno relojoeiro: sempre está desmontando alguma coisa...

Aluno atleta: sempre está correndo e pulando os obstáculos.

Aluno lixeiro: não sai do lixo, apontando os lápis.

Aluno detetive: aquele que fuça em tudo o que não é dele.

Aluno músico: sempre está batucando na carteira.

Aluno hipocondríaco: sempre inventa uma doença para faltar...

Aluno leiteiro: só aparece quando chega o leite...

Aluno "homem invisível": sempre está no meio da bagunça, mas nunca ninguém viu.

Aluno "tropa de elite": te faz pensar em desistir todos os dias...

Aluno gerente: cuida da vida de todo mundo.

Aluno anticristo: inferniza todos os seus dias.

Aluno psicólogo: sempre vem te falar o que os outros estão sentindo.

Aluno sombra: não desgruda de você.

Aluno astronauta: está sempre no mundo da lua...

Aluna noiva: sempre chega atrasada.

O caos instalado nas escolas. COMO REVERTER?


A violência chegou à escola: alunos agressivos uns com os outros. Nas salas de aula respira-se o desânimo e a indisciplina. Isso é refletido em vandalismos, agressões físicas e verbais, rejeições, discriminações. O professor é tratado com desrespeito e descaso. Ordens e regras pouco são acatadas. Em algumas turmas, dar aulas tornou-se uma tortura. O respeito que se tinha pelo professor não é mais o mesmo. Casos de agressões físicas, ameaças e humilhações a professores tornaram-se comuns, e são notícias em jornais nacionais e internacionais. Tornou-se corriqueiro ver um professor agredido e humilhado desistir da profissão. Até quando teremos de conviver com essa agressividade? A violência dos alunos é, muitas vezes, fruto de insucesso escolar e de um ambiente familiar problemático.

Em Belo Horizonte, um estudante processa a escola e o professor que lhe deu notas baixas, alegando que teve danos morais ao ter que virar noites estudando para a prova subseqüente. (Notem bem: o alegado “dano moral” do estudante foi ter que... estudar!). A coisa não fica apenas por aí. Pelo Brasil afora, ameaças constantes. Ainda neste ano, uma professora brutalmente espancada por um aluno. O ápice desta escalada macabra não poderia ser outro. O professor Kássio Vinícius Castro Gomes pagou com sua vida, com seu futuro, com o futuro de sua esposa e filhas, com as lágrimas eternas de sua mãe, pela irresponsabilidade que há muito vem tomando conta dos ambientes escolares. Há uma lógica perversa por trás dessa asquerosa escalada. A promoção do desrespeito aos valores, ao bom senso, às regras de bem viver e à autoridade foi elevada a método de ensino e imperativo de convivência supostamente democrática. No início, foi o maio de 68, em Paris: gritava-se nas ruas que “era proibido proibir”.
Depois, a geração do “não bate, que traumatiza”. A coisa continuou: “Não reprove, que atrapalha”. Não dê provas difíceis, pois “temos que respeitar o perfil dos nossos alunos”. Aliás, “prova não prova nada”. Deixe o aluno “construir seu conhecimento.”
Não vamos avaliar o aluno. Pensando bem, “é o aluno que vai avaliar o professor”.
Afinal de contas, ele está pagando... E como a estupidez humana não tem limite, a avacalhação geral epidêmica, travestida de “novo paradigma” (Irc!), prosseguiu a todo vapor, em vários setores: “o bandido é vítima da sociedade”, “temos que mudar ‘tudo isso que está aí’; “mais importante que ter conhecimento é ser ‘crítico’.” Claro que a intelectualidade rasa de pedagogos de panfleto e burocratas carreiristas ganhou um imenso impulso com a mercantilização desabrida do ensino: agora, o discurso anti-disciplina é anabolizado pela lógica doentia e desonesta da paparicação ao aluno – cliente...

Estamos criando gerações em que uma parcela considerável de nossos cidadãos é composta de adultos mimados, despreparados para os problemas, decepções e desafios da vida, incapazes de lidar com conflitos e, pior, dotados de uma delirante certeza de que “o mundo lhes deve algo”. Um desses jovens, revoltado com suas notas baixas, cravou uma faca com dezoito centímetros de lâmina, bem no coração de um professor. Tirou-lhe tudo o que tinha e tudo o que poderia vir a ter, sentir, amar. Ao assassino, corretamente , deverão ser concedidos todos os direitos que a lei prevê: o direito ao tratamento humano, o direito à ampla defesa, o direito de não ser condenado em pena maior do que a prevista em lei. Tudo isso, e muito mais, fará parte do devido processo legal, que se iniciará com a denúncia, a ser apresentada pelo Ministério Público. A acusação penal a o autor do homicídio covarde virá do promotor de justiça. Mas, com a licença devida ao célebre texto de Emile Zola,

EU ACUSO tantos outros que estão por trás do cabo da faca:

EU ACUSO a pedagogia ideologizada, que pretende relativizar tudo e todos, equiparando certo ao errado e vice-versa;

EU ACUSO os pseudo-intelectuais de panfleto, que romantizam a “revolta dos oprimidos”e justificam a violência por parte daqueles que se sentem vítimas;

EU ACUSO os burocratas da educação e suas cartilhas do politicamente correto, que impedem a escola de constar faltas graves no histórico escolar, mesmo de alunos criminosos, deixando-os livres para tumultuar e cometer crimes em outras escolas;

EU ACUSO a hipocrisia de exigir professores com mestrado e doutorado, muitos dos quais, no dia a dia, serão pressionados a dar provas bem tranqüilas, provas de mentirinha, para “adequar a avaliação ao perfil dos alunos”;

EU ACUSO os últimos tantos Ministros da Educação, que em nome de estatísticas hipócritas e interesses privados, permitiram a proliferação de cursos superiores completamente sem condições, freqüentados por alunos igualmente sem condições de ali estar;

EU ACUSO a mercantilização cretina do ensino, a venda de diplomas e títulos sem o mínimo de interesse e de responsabilidade com o conteúdo e formação dos alunos, bem como de suas futuras missões na sociedade;

EU ACUSO a lógica doentia e hipócrita do aluno-cliente, cada vez menos exigido e cada vez mais paparicado e enganado, o qual, finge que não sabe que, para a escola que lhe paparica, seu boleto hoje vale muito mais do que seu sucesso e sua felicidade amanhã;

EU ACUSO a hipocrisia das escolas que jamais reprovam seus alunos, as quais formam analfabetos funcionais só para maquiar estatísticas do IDH e dizer ao mundo que o número de alunos com segundo grau completo cresceu “tantos por cento”;

EU ACUSO os que aplaudem tais escolas e ainda trabalham pela massificação do ensino superior, sem entender que o aluno que ali chega deve ter o mínimo de preparo civilizacional, intelectual e moral, pois estamos chegando ao tempo no qual o aluno “terá direito” de se tornar médico ou advogado sem sequer saber escrever, tudo para o desespero de seus futuros clientes-cobaia;

EU ACUSO os que agora falam em promover um “novo paradigma”, uma “ nova cultura de paz”, pois o que se deve promover é a boa e VELHA cultura da “vergonha na cara”, do respeito às normas, à autoridade e do respeito ao ambiente universitário como um ambiente de busca do conhecimento;

EU ACUSO os “cabeça – boa” que acham e ensinam que disciplina é “careta”, que respeito às normas é coisa de velho decrépito,

EU ACUSO os métodos de avaliação de professores, que se tornaram templos de vendilhões, nos quais votos são comprados e vendidos em troca de piadinhas, sorrisos e notas fáceis;

EU ACUSO os alunos que protestam contra a impunidade dos políticos, mas gabam-se de colar nas provas,
assim como ACUSO os professores que, vendo tais alunos colarem, não têm coragem de aplicar a devida punição.

EU VEEMENTEMENTE ACUSO os diretores e coordenadores que impedem os professores de punir os alunos que colam, ou pretendem que os professores sejam “promoters” de seus cursos;

EU ACUSO os diretores e coordenadores que toleram condutas desrespeitosas de alunos contra professores e funcionários, pois sua omissão quanto aos pequenos incidentes é diretamente responsável pela ocorrência dos incidentes maiores; Uma multidão de filhos tiranos que se tornam alunos -clientes, serão despejados na vida como adultos eternamente infantilizados e totalmente despreparados, tanto tecnicamente para o exercício da profissão, quanto pessoalmente para os conflitos, desafios e decepções do dia a dia. Ensimesmados em seus delírios de perseguição ou de grandeza, estes jovens mostram cada vez menos preparo na delicada e essencial arte que é lidar com aquele ser complexo e imprevisível que podemos chamar de “o outro”. A infantilização eterna cria a seguinte e horrenda lógica, hoje na cabeça de muitas crianças em corpo de adulto: “Se eu tiro nota baixa, a culpa é do professor. Se não tenho dinheiro, a culpa é do patrão. Se me drogo, a culpa é dos meus pais. Se furto, roubo, mato, a culpa é do sistema. Eu, sou apenas uma vítima. Uma eterna vítima. O opressor é você, que trabalha, paga suas contas em dia e vive sua vida. Minhas coisas não saíram como eu queria. Estou com muita raiva. Quando eu era criança, eu batia os pés no chão. Mas agora, fisicamente, eu cresci. Portanto, você pode ser o próximo.” Qualquer um de nós pode ser o próximo, por qualquer motivo. Em qualquer lugar, dentro ou fora das escolas. A facada ignóbil no professor Kássio dói no peito de todos nós. Que a sua morte não seja em vão. É hora de repensarmos a educação brasileira e abrirmos mão dos modismos e invencionices. A melhor “nova cultura de paz” que podemos adotar nas escolas e universidades é fazermos as pazes com os bons e velhos conceitos de seriedade, responsabilidade, disciplina e estudo de verdade.

Créditos:Igor Pantuzza WildmannAdvogado – Doutor em Direito. Professor universitário.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

"Nunca antes na história das lutas educacionais deste Estado".



"PROFESSOR NÃO É PALHAÇO".

Na última quarta-feira,20, depois de 83 dias de paralisação, chegou ao fim uma das mais longas greves na rede de educação pública do Rio Grande do Norte.
Participante das mobilizações dos(as) educadores(as) em nosso estado nos últimos 26 anos – tendo feito parte da direção da antiga APRN (Associação do Professores do Rio Grande do Norte) entre 1985 e 1988 – conheço suficientemente a trajetória da categoria – porque fruto e partícipe dela – para afirmar que nunca antes na história das lutas educacionais deste estado um governo tratou os(as) trabalhadores(as) da educação como o faz o governo Rosalba, do DEM.
Os representantes do Rosa.Gov.Dem – da Chefe do Executivo à Secretária de Educação – atuaram em uníssono seguindo script e impondo estilo com um objetivo previamente definido: enfraquecer e derrotar o movimento sindical dos educadores como forma de evitar futuras mobilizações.
Os motivos da greve podem ser resumidos, basicamente, em três itens: 1 – cumprimento do Planos de Cargos e Salários do Pessoal do Magistério, 2 – retomada do processo revisional da tabela salarial do referido Plano e 3 – cumprimento do Plano de Cargos dos Servidores do Estado, que define os vencimentos dos servidores do chamado quadro geral, inclusos aí os servidores dos níveis elementar, médio e superior da educação.
Como se vê, e por incrível que pareça, a greve ocorreu porque o governo não cumpriu o que está consignado em lei.
O atual Plano de Cargos e Salários do Pessoal do Magistério é a Lei Complementar nº 322/2006, publicada em 12/01/2006, e sucedânea de legislações anteriores, criadas ainda em meados dos anos 80 do século passado. Nada a ver, portanto, com “planos aprovados em 2010, às vésperas das eleições”.
A lei do Plano de Cargos define, entre outras questões, a tabela dos vencimentos dos educadores ao longo de sua carreira. Esta tabela começa com a definição do vencimento inicial do profissional com formação de magistério (ensino médio), o piso salarial, e vai até à do profissional com formação superior, com aumentos percentuais, em efeito cascata, de acordo com a qualificação e o tempo de serviço, amarrando a carreira em níveis diferentes e articulados entre si. Pela tabela em vigor, um professor licenciado, por exemplo, tem o seu vencimento inicial (sem considerar o tempo de serviço), calculado em 40% a mais do que o vencimento inicial do professor com formação de nível médio.
A tabela dos vencimentos dos profissionais da educação do RN deveria ter sido atualizada desde janeiro de 2011. Isto porque o valor do Piso Salarial do Magistério, definido pela Lei Federal nº 11738/2008, foi reajustado desde esta data. Modificado o valor do vencimento inicial da carreira, altera-se o valor dos demais níveis da tabela.
Assim, por exemplo, o vencimento inicial do profissional de nível médio (início de carreira), com jornada de 30 horas semanais, que era de R 768,00 (664 mais abono) no ano passado, deveria ter sido reajustado para R$890,62, em janeiro deste ano por força da Lei do Piso. E o vencimento inicial do profissional licenciado, para R$1.246,00, por ser 40% a mais. A mesma metodologia de reajuste deveria ter sido aplicada para os demais níveis salariais, de acordo com a titulação e o tempo de serviço.
A posição do Governo Rosalba, do DEM, foi a de implantar o Piso, somente a partir de junho, apenas para quem tinha vencimento inicial menor do que R$ 890,62 (menos de 2 mil educadores) e rasgar o Plano de Cargos da categoria para os cerca de 25 mil demais professores, jogando para dezembro o cumprimento da lei.
Em relação à revisão geral da tabela salarial, o Governo não apresentou qualquer proposta concreta assim como adiou para setembro em diante o cumprimento das parcelas garantidas pelo Plano de Cargos dos servidores dos níveis elementar, médio e superior do chamado quadro geral (Lei Complementar nº 432, de 1º de julho de 2010)
É falso atribuir totalmente às atuais limitações financeiras impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal a atitude de descumprir os Planos de Cargos dos educadores e dos demais servidores. Se desejasse de fato cumpri-los em sua integridade, o Governo teria apresentado um calendário para a repactuação dos prazos.
Ao definir unilateralmente que cumprirá os Planos em dezembro deste ano (iniciando em setembro, sem retroativos), o Governo Rosalba criou uma situação inusitada que desafia até mesmo a sapiência jurídica de seus principais auxiliares: a suspensão dos efeitos das leis nos meses de janeiro a novembro.
Para conseguir seu intento e derrotar os(as) educadores(as) o Governo do Dem lançou mão de mecanismos nunca antes utilizados com tamanha eficácia. Entre tantos atos de pressão, recorreu ao Judiciário e editou medidas administrativas coercitivas com o objetivo de ameaçar e punir.
Nunca antes – nem mesmo nos tempos do Governo Geraldo Melo, que enfrentou uma paralisação semelhante logo no início da gestão (1987) porque rasgou o Estatuto do Magistério aprovado em 1986 – o judiciário havia decretado ilegalidade de uma greve, além de determinar pesada multa diária ao sindicato . Não contente, para enfrentar a resistência e coragem da categoria que não se curvou, o Governo pediu o aumento da multa em dez vezes, numa clara demonstração de que o objetivo é o enfraquecimento da organização da categoria.
Nunca antes um governo criou uma Comissão Permanente de Sindicância no âmbito da Secretaria de Educação, como foi feito através do Decreto nº 22.298, publicado no Diário Oficial, em um sábado, dia 16/07/2011, dando o primeiro passo para a abertura de processos disciplinares contra os(as) servidores(as).
Nunca antes os gestores da educação se mostraram tão submissos aos discursos do núcleo econômico do governo. Desde os tempos do saudoso Prof. Hélio Vasconcelos (no primeiro governo Agripino) até a gestão do Prof. Otávio, raros foram os embates na educação em que os gestores da pasta não se somaram e dialogaram em paralelo com a categoria nestes momentos difíceis, construindo e disputando soluções que iam de encontro às desejadas por outros setores do próprio governo, ressalvadas as hierarquias e interesses do executivo como um todo.
Nunca antes foram tão inócuas as tentativas de intermediações feitas pela Assembléia Legislativa ou por parlamentares federais como foram os casos das iniciativas da Dep. Fátima Bezerra e mesmo de aliados do governo, como o Senador Paulo Davim.
Nunca antes a indiferença, a insensibilidade e o autoritarismo prevaleceram tão intactos, orientados por uma lógica que inviabiliza qualquer pactuação possível com vista à superação dos tristes indicadores educacionais do Rio Grande do Norte.
Como dantes, a vítima é a parcela da sociedade que precisa e depende de educação pública de qualidade, condição basilar para que se dê passos concretos rumo à superação das concentrações de conhecimento, de renda e de poder tão presentes em nosso país e em nosso estado.

Créditos:Mineiro – Professor licenciado e deputado Estadual PT/RN

"NÃO PRECISAMOS DE EDUCAÇÃO".


NÃO PRECISAMOS DE PROFESSORES
AFINAL....
PARA QUE SER UM PAÍS DE 1° MUNDO SE ESTÁ BOM ASSIM!

Ronaldinho Gaúcho: R$ 1.400.000,00 por mês.
"Homenageado na Academia Brasileira de Letras"... LETRADO ELE.

Tiririca: R$ 36.000,00 por mês, fora os auxílios e mordomias;
"Membro da Comissão de Educação e Cultura do Congresso"...COMO DIZ OS GAÚCHOS
- TCHÊ... QUE TAL?
TRADUZINDO, O SALÁRIO DO PALHAÇO AÍ, PAGA SÓ 30 PROFESSORES, E PARA AQUELES QUE ACHAM QUE EDUCAÇÃO NÃO É IMPORTANTE, CONTRATE O TIRIRICA PARA DAR AULA PARA SEU FILHO.

Um funcionário da Sadia (nada contra) ganha hoje o mesmo salário de um ACT ou um professor iniciante, levando em consideração para trabalhar na empresa você precisa ter o fundamental, ou seja, de que adianta estudar, fazer pós e mestrado?

Piso Nacional dos professores: R$ 1.187,00...
Moral da História:
Os professores ganham pouco, porque só servem para nos ensinar coisas inúteis como: ler, escrever e pensar.
Sugestão:
Mudar a grade curricular das escolas, que passaria a ter as seguintes matérias:
- Educação Física: Futebol
- Música: Sertaneja, Pagode, Axé
- História: Grandes Personagens da Corrupção Brasileira
Biografia dos Heróis do Big Brother
Evolução do Pensamento das "Celebridades"

- História da Arte: De Carla Perez a Faustão
- Matemática: Multiplicação Fraudulenta do Dinheiro de Campanha
Cálculo Percentual de Comissões e Propinas
- Português e Literatura:
??????????????????????? Para quê??????????? ???????????
- Biologia, Física e Química:
Excluídas por excesso de complexidade
Está bom ou quer MAIS!!!!!!!!!!!!!
ESSE É O NOSSO BRASIL!!!!!!

Obs:O texto me foi enviado por E-mail, desconheço a autoria.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

20 de julho dia do amigo .O que a amizade é capaz de fazer com o coração.


Aos amigos que visitam sempre o blog,um carinho especial.

Amizade.

Pode ser que um dia deixemos de nos falar...
Mas, enquanto houver amizade,
Faremos as pazes de novo.

Pode ser que um dia o tempo passe...
Mas, se a amizade permanecer,
Um do outro se há-de lembrar.

Pode ser que um dia nos afastemos...
Mas, se formos amigos de verdade,
A amizade nos reaproximará.

Pode ser que um dia não mais existamos...
Mas, se ainda sobrar amizade,
Nasceremos de novo, um para o outro.

Pode ser que um dia tudo acabe...
Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
Cada vez de forma diferente.
Sendo único e inesquecível cada momento
Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.

Há duas formas para viver a sua vida:
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.

Albert Einstein

terça-feira, 19 de julho de 2011

Há sempre um colega.


A escola inteira está cheia de colegas.

Há colegas calados que precisam de alguém para conversar.

Há colegas tristes

que precisam de alguém que os conforte.

Há colegas tímidos que precisam de alguém que os ajude a vencer a timidez.

Há colegas com medo,que precisam de alguém para lhes dar a mão.

Há colegas fortes que precisam de alguém para lhe indicar a melhor maneira de usarem

sua força.

Há colegas habilidosos que precisam de alguém para ajudar a melhor maneira de usarem

sua habilidade.

Há colegas que julgam não saberem fazer nada e precisam de alguém que os ajude

a descobrir o quanto sabem.

Há colegas apressados que precisam de alguém para lhes mostrar o que não tempo para

ver.

Há colegas impulsivos que precisam de alguém que os ajude a não magoar os outros.

Há colegas que se sentem de fora e precisam de alguém que lhes mostre

o caminho de entrada.

Há colegas que pensam não servir para nada e precisam de alguém que os ajude a

descobrir o quanto são importantes.

Há sempre um colega precisando de ti.

Créditos:http://angelavbecker.blogspot.com/

domingo, 17 de julho de 2011

Homem X Mulher.


O homem é a mais elevada das criaturas.
A mulher é o mais sublime dos ideais.

Deus fez para o homem um trono;
Para a mulher um altar.
O trono exalta; o altar santifica.

O homem é o gênio; a mulher o anjo.
O gênio é imensurável; o anjo indefinível.

A aspiração do homem é a suprema glória;
A aspiração da mulher, a virtude extrema.
A glória traduz grandeza; a virtude traduz divindade.

O homem tem a supremacia; a mulher a preferência.
A supremacia representa força
A preferência representa o direito.

O homem é forte pela razão; a mulher invencível pelas lágrimas.
A razão convence; a lágrima comove.

O homem é capaz de todos os heroísmos;
A mulher de todos os martírios.
O heroísmo enobrece; os martírios sublimam.

O homem é o código; a mulher o evangelho.
O código corrige; o evangelho aperfeiçoa.

O homem é o templo; a mulher, um sacrário.
Ante o templo, nos descobrimos;
Ante o sacrário ajoelhamo-nos.

O homem pensa; a mulher sonha.
Pensar é ter cérebro;
Sonhar é ter na fronte uma auréola.

O homem é um oceano; a mulher um lago.
O oceano tem a pérola que embeleza;
O lago tem a poesia que deslumbra.
O homem é a águia que voa; a mulher o rouxinol que canta.
Voar é dominar o espaço; cantar é conquistar a alma.

O homem tem um fanal: a consciência;
A mulher tem uma estrela : a esperança.
O fanal guia, a esperança salva.

Enfim ...
O homem está colocado onde termina a terra;
A mulher onde começa o céu ...

Créditos:VICTOR HUGO

Inteligente... muito inteligente
Adorei o ponto de vista e Concordo plenamente.
E vcs????

"Fica Proibido".


Fica proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer,
Ter medo das tuas recordações.

Fica proibido não sorrir ante os problemas,
Não lutar pelo que queres,
Abandonar tudo por medo,
Não transformar em realidade teus sonhos..

Fica proibido não demonstrar o teu amor,
Fazer com que alguém pague pelas tuas dúvidas e pelo teu mau humor..

Fica proibido deixar os teus amigos,
Não tentar compreender aquilo que viveram juntos,
Chamá-los somente quando precisa deles..

Fica proibido não seres tu perante todos,
Fingir para as pessoas que não te importas,
Esquecer todos os que te querem..

Fica proibido não fazeres as coisas para ti mesmo,
Não fazeres o teu destino,
Ter medo da vida e dos teus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse o último.

(Pablo Neruda)


Fonte:http://mscamp.wordpress.com

SORTEIO NO BLOG MIMOS DA CAROL.


Gente! Participem, é até o dia 30/07/11

Clique aqui para visitar o blog da Carol.

http://mimoscarolsena.blogspot.com/2011/06/promocao.html

quarta-feira, 13 de julho de 2011

"Atitudes Que Fazem a Diferença".


"porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me acolhestes;" Mateus 25:35

Passava do meio dia, o cheiro de pão quente invadia aquela rua, um sol escaldante convidava a todos para um refresco.
Ricardinho não agüentou o cheiro bom do pão e falou:
- Pai, to com fome!
O pai, Agenor, sem ter um tostão no bolso, caminhando desde muito cedo em busca de um trabalho, olha com os olhos marejados para o filho e pede mais um pouco de paciência...
- Mas pai, desde ontem não comemos nada, eu to com muita fome, pai!
Envergonhado, triste e humilhado em seu coração de pai, Agenor pede para o filho aguardar na calçada enquanto entra na Padaria a sua frente.
Ao entrar dirige-se a um homem no balcão:
- Meu senhor, estou com meu filho de apenas 6 anos na porta, com muita fome. Não tenho nenhum tostão, pois sai cedo para buscar um emprego e nada encontrei. Eu lhe peço que em nome de Jesus me forneça um pão para que eu possa matar a fome desse menino, em troca posso varrer o chão de seu estabelecimento, lavar os pratos e copos, ou outro serviço que o Senhor precisar.
Amaro, o dono da Padaria estranha aquele homem de semblante calmo e sofrido, pedir comida em troca de trabalho e pede para que ele chame o filho.
Agenor pega o filho pela mão e apresenta-o a Amaro, que imediatamente pede que os dois sentem-se junto ao balcão, onde manda servir dois pratos de comida do famoso PF (Prato Feito) - arroz, feijão, bife e ovo.
Para Ricardinho era um sonho, comer após tantas horas na rua.
Para Agenor, uma dor a mais, já que comer aquela comida maravilhosa fazia-o lembrar-se da esposa e mais dois filhos que ficaram em casa apenas com um punhado de fubá.
Grossas lágrimas desciam dos seus olhos já na primeira garfada.
A satisfação de ver seu filho devorando aquele prato simples como se fosse um manjar dos deuses, e a lembrança de sua pequena família em casa, foi demais para seu coração tão cansado de mais de 2 anos de desemprego, humilhações e necessidades.
Amaro se aproxima de Agenor e percebendo a sua emoção, brinca para relaxar:
- O Maria! Sua comida deve estar muito ruim! Olha o meu amigo está até chorando de tristeza desse bife, será que é sola de sapato...?
Imediatamente, Agenor sorri e diz que nunca comeu comida tão apetitosa, e que agradecia a Deus por ter esse prazer.
Amaro pede então que ele sossegue seu coração, que almoçasse em paz e depois conversariam sobre trabalho.
Mais confiante Agenor enxuga as lágrimas e começa a almoçar, já que sua fome já estava nas costas.
Após o almoço, Amaro convida Agenor para uma conversa nos fundos da Padaria, onde havia um pequeno escritório.
Agenor conta então que há mais de 2 anos havia perdido o emprego e desde então, sem uma especialidade profissional, sem estudos, ele estava vivendo de pequenos "biscates aqui e acolá", mas que há 2 meses não recebia nada.
Amaro resolve então contratar Agenor para serviços gerais na Padaria, e penalizado, faz para o homem uma cesta básica com alimentos para pelo menos 15 dias.
Agenor com lágrimas nos olhos agradece a confiança daquele homem e marca para o dia seguinte seu início no trabalho.
Ao chegar em casa com toda aquela "fartura", Agenor é um novo homem - sentia esperanças, sentia que sua vida iria tomar novo impulso.
Deus estava lhe abrindo mais do que uma porta era toda uma esperança de dias melhores.
No dia seguinte, às 5 da manhã, Agenor estava na porta da Padaria ansiosa para iniciar seu novo trabalho.
Amaro chega logo em seguida e sorri para aquele homem que nem ele sabia por que estava ajudando.
Tinham a mesma idade, 32 anos, e histórias diferentes, mas algo dentro dele chamava-o para ajudar aquela pessoa.
E, ele não se enganou - durante um ano, Agenor foi o mais dedicado trabalhador daquele estabelecimento, sempre honesto e extremamente zeloso com seus deveres.
Um dia, Amaro chama Agenor para uma conversa e fala da escola que abriu vagas para a alfabetização de adultos um quarteirão acima da Padaria, e que ele fazia questão que Agenor fosse estudar.
Agenor nunca esqueceu seu primeiro dia de aula: a mão trêmula nas primeiras letras e a emoção da primeira carta...
Doze anos se passam desde aquele primeiro dia de aula.
Vamos encontrar o Dr. Agenor Baptista de Medeiros, advogado, abrindo seu escritório para seu cliente, e depois outro, e depois mais outro.
Ao meio dia ele desce para um café na Padaria do amigo Amaro, que fica impressionado em ver o "antigo funcionário" tão elegante em seu primeiro terno.
Mais dez anos se passou, e agora o Dr. Agenor Baptista, já com uma clientela que mistura os mais necessitados que não podem pagar, e os mais abastados que o pagam muito bem, resolve criar uma Instituição que oferece aos desvalidos da sorte, que andam pelas ruas, pessoas desempregadas e carentes de todos os tipos, um prato de comida diariamente na hora do almoço.
Mais de 200 refeições são servidas diariamente naquele lugar que é administrado pelo seu filho, o agora nutricionista Ricardo Baptista.
Tudo mudou, tudo passou, mas a amizade daqueles dois homens, Amaro e Agenor impressionavam a todos que conheciam um pouco da história de cada um, contam que aos 82 anos os dois faleceram no mesmo dia, quase que há mesma hora, morrendo placidamente com um sorriso de dever cumprido.
Ricardinho, o filho mandou gravar na frente da "Casa do Caminho", que seu pai fundou com tanto carinho:

"Um dia eu tive fome, e você me alimentou. Um dia eu estava sem esperanças e você me deu um caminho. Um dia acordei sozinho, e você me deu Deus, e isso não tem preço. Que Deus habite em seu coração e alimente sua alma... E, que te sobre o pão da misericórdia para estender a quem precisar".
Não se esqueçam: Somos todos responsáveis por um mundo melhor.

Desconheço a autoria do texto.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

"Saiba como os hackers do mal podem ficar ricos às suas custas".


Pouca gente sabe o que realmente acontece no submundo das invasões. Confira tudo sobre as formas que hackers utilizam para ganhar dinheiro.


Neste artigo, crackers (Black hats, ou hackers do mal) serão tratados apenas como hackers.

A onda de invasões nos mais diversos sites da internet assustou muitos usuários. Desde que os serviços online da Sony foram invadidos, muitos começaram a se perguntar se a rede mundial era realmente segura para que os cartões de crédito e outros dados financeiros pudessem estar armazenados nela.
Todo mundo sabe como é fácil perder dinheiro por causa dessas invasões, mas você já parou para pensar em como é complexo o processo que os hackers utilizam para roubar os usuários? Acompanhe este artigo que conta um pouco mais sobre esse sistema obscuro pelo que usuários mal-intencionados enriquecem de maneira ilícita.

*Primeiros passos: roubos de dados.

Essa parte é a mais conhecida pelos usuários. Hackers buscam usuários sem proteção ou que caiam nas armadilhas de phishing para que possam rodar softwares de verificação de dados no computador invadido. Dessa forma, possíveis senhas e números de cartões de crédito podem ser identificados e copiados.

Há também outras formas de realizar esse tipo de roubo. Antivírus falsos podem ser acionados pelo próprio usuário, que dessa forma permite a varredura do computador e não sabe que, na verdade, está permitindo que seus dados sejam roubados. Nesse ponto, as ações que envolvem o roubo seguem a mesma linha do primeiro exemplo.
Uma terceira forma de os hackers roubarem dados é bem mais complexa. Trata-se da invasão de servidores (como aconteceu com a PSN alguns meses atrás), tipo de ação em que alguns usuários localizam brechas na segurança dos serviços online para obter acesso a diversas informações confidenciais, como contas e senhas bancárias.
Esse último tipo de ataque é muito mais complexo, mas quando bem-sucedido consegue roubar um volume muito maior de informações. Geralmente são feitos por hackers mais experientes, que conseguem burlar sistemas inteiros para chegar ao objetivo final: dinheiro fácil.

*Os testes de verificação.

Com números de cartões de crédito, códigos de verificação e senhas em mãos, chega a hora dos hackers testarem a eficiência de seus trabalhos. Para isso são realizadas pequenas transações em lojas online ou mesmo em bancos. Nesse momento, os hackers conseguem saber exatamente se seus roubos foram um sucesso.

Já com tudo verificado, os hackers precisam transformar esses dados roubados em dinheiro de verdade. Para isso, vários desses invasores (que também são chamados de “carders”) encontram-se em mercados negros de informações, onde vendem e trocam dados de usuários com outros hackers.
Nesse tipo de negociação, cartões e senhas já verificados rendem muito mais dinheiro para os hackers, pois isso elimina uma das fases mais complexas do processo, que é a verificação (há mais riscos de rastreio nesse momento). E essa é apenas uma das maneiras de eles ganharem com as invasões.

*Impressão de cartões.

Depois de conseguir verificar os dados e trocar informações com outros hackers, os bandidos conseguem realizar impressões profissionais dos cartões de crédito. Com impressoras específicas, eles conseguem até mesmo anexar tarjas magnéticas aos cartões clonados, garantindo que eles possam ser utilizados em lojas reais.
Nessa etapa do processo, existem dois tipos de cartão. Os que serão utilizados apenas em compras virtuais (chamados de Track1) e os que podem ser utilizados também em compras em lojas físicas (chamados de Track2), pois confirmam até mesmo os códigos de verificação (que ficam na parte traseira dos cartões comuns).

*Contratação de “laranjas”

Os norte-americanos costumam chamar os contratados pelos hackers de “mulas de carga”. Eles são nada mais do que os “laranjas”, ou seja, pessoas que ganham dinheiro para assumir os riscos (e a culpa, caso sejam pegas) das transações com cartões de crédito roubados. Nos Estados Unidos, a maior parte dos aliciados pelos hackers são estudantes de intercâmbio.

*Lavando o dinheiro.

Grandes quantias de dinheiro podem ser muito mais facilmente rastreadas do que pequenas quantias. Por isso, muitos hackers aproveitam seus “laranjas” para fragmentar o dinheiro roubado. Como isso é feito? Após sacar o dinheiro em vários caixas eletrônicos, eles o depositam em contas virtuais (como PayPal ou e-gold).
Com as transferências concluídas, o dinheiro pode chegar facilmente às mãos das organizações de hackers (que frequentemente estão aliados a outros criminosos). Uma pequena parte desse bolo fica para os “laranjas”, que quando são pegos raramente sabem dizer por qual organização foram contratados.

A parte final da lavagem de dinheiro exige paciência e é completamente realizada pelas “mulas de carga”. Com cartões de crédito roubados (ou com as contas virtuais), os criminosos fazem compras em sites como o e-Bay e, com certa frequência, ordenam que a entrega seja realizada em caixas postais abandonadas.
Depois só precisam buscar os produtos e vendê-los novamente na internet. Dessa vez, utilizam suas próprias contas para que possam justificar a origem do dinheiro ganho com as vendas. Assim encerra-se o ciclo dos hackers, que só param de utilizar os cartões quando eles são bloqueados.

*Outras formas de monetização.

Ao longo da história, várias técnicas foram utilizadas pelos hackers para a obtenção de dinheiro. Algumas delas ficaram muito famosas por causa da maestria com que foram executadas. É o caso do hacker americano Kevin Mitnick, que criou um sistema para desviar apenas 1 centavo por cada transação bancária realizada em determinado banco. Conseguiu 80 milhões de dólares com a prática.

Fonte: http://www.tecmundo.com.br

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Prof Amanda Gurgel recusa prêmio PNBE - saiba o motivo.


Amanda Gurgel, que recusou o prêmio "PNBE" um dos mais importantes do nosso país justificou-se em carta aberta da seguinte forma:

O PNBE – Pensamento Nacional das Bases Empresariais fez hoje à noite a entrega do 19º Prêmio Brasileiros de Valor 2011 – Por um Brasil Ético e Eficiente. Eleita como “Educadora de Valor”, pela “manifestação contra a incúria do governo em relação à educação e aos maus tratos aos seus protagonistas, demonstrando corajosamente toda a sua indignação aos governantes”, a professora Amanda Gurgel recusou a distinção.
Em carta, Amanda Gurgel explica seus motivos. Confira:

“Natal, 02 de julho de 2011

Prezado júri do 19º Prêmio PNBE,

Recebi comunicado notificando que este júri decidiu conferir-me o prêmio de 2011 na categoria Educador de Valor, “pela relevante posição a favor da dignidade humana e o amor a educação”. A premiação é importante reconhecimento do movimento reivindicativo dos professores, de seu papel central no processo educativo e na vida de nosso país. A dramática situação na qual se encontra hoje a escola brasileira tem acarretado uma inédita desvalorização do trabalho docente. Os salários aviltantes, as péssimas condições de trabalho, as absurdas exigências por parte das secretarias e do Ministério da Educação fazem com que seja cada vez maior o número de professores talentosos que após um curto e angustiante período de exercício da docência exonera-se em busca de melhores condições de vida e trabalho.
Embora exista desde 1994 esta é a primeira vez que esse prêmio é destinado a uma professora comprometida com o movimento reivindicativo de sua categoria. Evidenciando suas prioridades, esse mesmo prêmio foi antes de mim destinado à Fundação Bradesco, à Fundação Victor Civita (editora Abril), ao Canal Futura (mantido pela Rede Globo) e a empresários da educação. Em categorias diferentes também foram agraciadas com ele corporações como Banco Itaú, Embraer, Natura Cosméticos, McDonald’s, Brasil Telecon e Casas Bahia, bem como a políticos tradicionais como Fernando Henrique Cardoso, Pedro Simon, Gabriel Chalita e Marina Silva.
A minha luta é muito diferente dessas instituições, empresas e personalidades. Minha luta é igual a de milhares de professores da rede pública. É um combate pelo ensino público, gratuito e de qualidade, pela valorização do trabalho docente e para que 10% do Produto Interno Bruto seja destinado imediatamente para a educação. Os pressupostos dessa luta são diametralmente diferentes daqueles que norteiam o PNBE. Entidade empresarial fundada no final da década de 1980, esta manteve sempre seu compromisso com a economia de mercado. Assim como o movimento dos professores sou contrária à mercantilização do ensino e ao modelo empreendedorista defendido pelo PNBE. A educação não é uma mercadoria, mas um direito inalienável de todo ser humano. Ela não é uma atividade que possa ser gerenciada por meio de um modelo empresarial, mas um bem público que deve ser administrado de modo eficiente e sem perder de vista sua finalidade.
Oponho-me à privatização da educação, às parcerias empresa-escola e às chamadas “organizações da sociedade civil de interesse público” (Oscips), utilizadas para desobrigar o Estado de seu dever para com o ensino público. Defendo que 10% do PIB seja destinado exclusivamente para instituições educacionais estatais e gratuitas. Não quero que nenhum centavo seja dirigido para organizações que se autodenominam amigas ou parceiras da escola, mas que encaram estas apenas como uma oportunidade de marketing ou, simplesmente, de negócios e desoneração fiscal.
Por essa razão, não posso aceitar esse Prêmio. Aceitá-lo significaria renunciar a tudo por que tenho lutado desde 2001, quando ingressei em uma Universidade pública, que era gradativamente privatizada, muito embora somente dez anos depois, por força da internet, a minha voz tenha sido ouvida, ecoando a voz de milhões de trabalhadores e estudantes do Brasil inteiro que hoje compartilham comigo suas angústias históricas. Prefiro, então, recusá-lo e ficar com meus ideais, ao lado de meus companheiros e longe dos empresários da educação.

Saudações,

Professora Amanda Gurgel”.

terça-feira, 5 de julho de 2011

23 dicas para fortalecer o vínculo com os pais.


Todo relacionamento precisa ser nutrido para tornar-se forte e duradouro. No relacionamento com os filhos é a mesma coisa, por isso ao preocupar-se em demonstrar gestos de carinhos para os seus filhos, farão com que eles sintam-se especiais e amados profundamente.
Quero compartilhar com você 23 pequenos gestos carinhosos que não custarão nada, porém causarão um grande impacto no dia dos seus filhos.
Gestos esses que mesmo que você passe o dia todo fora no trabalho, ainda assim eles sentirão a sua presença e o seu toque de amor.
Talvez você queira começar tentando apenas um dos gestos abaixo. Ou talvez ainda, você possa escolher tentar um gesto diferente em cada dia deste mês.
Uma coisa é certa, não importa quantos gestos você demonstre por dia, o fato é, seus filhos vão apreciar muito suas novas atitudes carinhosas.

Dicas preciosas.

>Coloque bilhetinhos carinhosos dentro da lancheira, gavetas e mochilas;
>Diga-lhes, pertinho da orelha, “ Eu te amo” pelo menos uma vez ao dia;
>Dê a eles um apelido carinhoso que será usado sempre em família;
>Reserve pelo menos 15 minutos para saber como foi o dia deles;
>Deixe uma barra de chocolate no travesseiro deles;
>Assista com eles vídeos de quando eles ainda eram bebês;
>Planeje uma tarefa para ser feita junto com eles. Ex. banho no cachorro;
>Faça massagens em seus pés;
>Brinque a brincadeira favorita deles até eles se cansarem;
>Deixe-os ficar um pouco mais tarde com você esta noite;
>Conte-lhes histórias bonitas de quando eles eram mais novos;
>Vá na Reunião de Pais e deixe um bilhete para eles retirarem no dia seguinte;
>Prepare uma refeição com a comida favorita deles;
>Faça um bolo com o nome deles e coloque seu recheio predileto;
>Decore o cobertor deles com seus personagens favoritos;
>Olhe-os nos olhos e diga-lhes o que você ama neles;
>Surpreenda-os no aniversário deles e mande entregar um bolo na escola;
>Faça uma caminhada junto com eles;
>Dê-lhes um bilhetinho valendo 10 abraços;
>Faça cócegas neles em momentos que eles não esperam;
>Elogie-os na frente de outras pessoas;
>Coloque a música favorita e dance com eles no meio da sala;
>Ore com eles e agradeça a Deus pelo presente maravilhoso que você recebeu;

Créditos:By Roseli Brito

domingo, 3 de julho de 2011

Você sabe o que são: atividades permanentes, sequência didática e projeto didático. Não!!! Então dá uma olhadinha neste post.


■ ATIVIDADE PERMANENTE:

O que é: Trabalho didático realizado regularmente (diária, semanal ou quinzenalmente), como ler para os alunos, organizar rodas de conversa e reservar uma aula da semana para a produção de pinturas e desenhos no ateliê.

Objetivos: Familiarizar a turma com um conteúdo e formar hábitos. Ao fazer leituras diárias, por exemplo, as crianças aprendem sobre a linguagem escrita e desenvolvem comportamentos leitores.

Organização: Prever objetivos, conteúdos, duração da atividade, materiais necessários e como será feita a avaliação.

Como usar: Realizar atividades permanentes não significa fazer sempre a mesma coisa. A proposta deve ser empregada com regularidade durante o ano ou um semestre e oferecer novos desafios (rodas de leitura em que livros cada vez mais difíceis são lidos pelo professor).


■ SEQUÊNCIA DIDÁTICA:

O que é: Série de atividades envolvendo um mesmo conteúdo, com ordem crescente de dificuldade, planejadas para possibilitar o desenvolvimento da próxima.

Objetivo Ensinar conteúdos que exijam tempo para aprender e aprofundamento gradual, como o reconhecimento das características de uma paisagem brasileira em Geografia, uma série de experiências para observar a ação de micro-organismos em Ciências ou a leitura da obra de um autor em Língua Portuguesa.

Organização Prever a ordem em que as atividades serão propostas, os objetivos, os conteúdos, os materiais, as etapas do desenvolvimento, a duração e a maneira como será feita a avaliação.

Como usar A maioria dos conteúdos exige tempo para aprender. Por isso, a sequência didática é a modalidade organizativa mais presente no planejamento. Escolher os conteúdos mais importantes, organizar a série, garantindo a continuidade, e distribuí-los durante o ano. O número de atividades de cada sequência é variado, assim como o tempo de duração (ambos dependem do objetivo e da resposta da turma às propostas).


■ PROJETO DIDÁTICO:

O que é Conjunto de ações para a elaboração de um produto final que tenha uso pela comunidade escolar. Uma de suas características é envolver a turma em todas as etapas do planejamento.

Objetivo Reunir conteúdos abrangentes, atingindo propósitos didáticos e sociais. Um projeto de leitura e escrita, por exemplo, em que os estudantes fazem um livro de receitas ensina a ler e escrever e trabalha com valores nutricionais. Pode ter como meta mostrar à comunidade como aproveitar as frutas regionais.

Organização Prever os momentos de planejamento e de discussão em grupo e os de trabalhos individuais. Colocar justificativas, aprendizagens desejadas,etapas do desenvolvimento, produção, maneiras de divulgar o produto final, duração e avaliação final.

Como usar A duração é variada, mas sempre ocupa dois meses ou mais. Por isso, o ideal é propor um ou dois por ano para cada turma. Desenvolve-se o conjunto das atividades do projeto sem abandonar as atividades permanentes e as sequências didáticas.

Fonte: http://educareaprendersempre.blogspot.com/

Internauta brasileiro não sabe identificar site fraudulento, diz pesquisa.


Estudo divulgado pela Verisign aponta que mais de 70% das pessoas que usam a web podem ser vítimas de golpes online.

Uma pesquisa divulgada pela VeriSign revelou que 73% dos internautas brasileiros correm o risco de sofrer fraudes on-line por não serem capazes de identificar as diferentes formas de phishing – golpes virtuais.
A pesquisa pediu aos entrevistados que identificassem qual das duas imagens de um site, apresentadas lado a lado, pertencia a um site fraudulento. O indicador mais ignorado foi a ortografia do site – 73% das pessoas não conseguiram identificar erros ortográficos que denunciariam a fraude. Os outros indicadores incluem:

*Inexistência do símbolo do cadeado na barra de endereço do navegador – 54% enganados

*Solicitação de informações adicionais sobre conta – 36% enganados

*URL contendo um nome de domínio numérico e não específico – 33% enganados

"O phishing continua a ser um grande desafio para as empresas on-line," diz Gastão Mattos, do MIS (Movimento Internet Segura). "Apenas um ataque de phishing é o
suficiente para reduzir drasticamente a confiança que os internautas depositam em uma organização", afirma.
A investigação também fornece informações a respeito da vulnerabilidade de diferentes parcelas da população. As mulheres são 10% mais suscetíveis a serem vítimas de phishing que os homens, enquanto pessoas na região Centro-Oeste do Brasil são as que têm menos chance de cair em armadilhas. O grupo etário mais vulnerável é o entre 35 e 44 anos, com 21% mais chances de ser vítima de phishing que o entre 18 e 24 anos.

Dicas de segurança:

Para verificar se um site é genuíno ou não, e se ele está tomando medidas para proteger seus dados pessoais, observe o seguinte:

*https:// - O “s” no https:// significa que o site é criptografado, portanto as informações inseridas estão seguras. Apesar de alguns sites de phishing possuírem um endereço de Web seguro, muitos não têm. Portanto, os visitantes do site devem estar atentos para a falta de segurança em sites que deveriam tê-la.

*Ícone do cadeado - Para ser significativo, este ícone deve aparecer na interface real do navegador e não dentro do conteúdo da própria página.

*Verifique o endereço web (URL) - Suspeite de qualquer site com um domínio desconhecido e que contenha o nome de um site conhecido na última parte do seu endereço na barra do navegador.

*Barra de endereços verde - Isso significa que este site sofreu uma autenticação de identidade ampla, portanto você pode ter certeza de que o site é o que afirma ser.

Créditos:http://pc-hacker.blogspot.com