O senhor é meu pastor e nada me faltará...


anjos - Recados Para Orkut

"Educar com amor".

"Educar com amor".

Um cantinho especial para uma boa e agradável conversa!!!

sábado, 31 de março de 2012

O espelho de Gandhi


Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem os seres humanos.

Ele respondeu:

"A Política, sem princípios; o Prazer, sem compromisso; a Riqueza, sem trabalho; a Sabedoria, sem caráter; os negócios, sem moral; a Ciência, sem humanidade; a Oração, sem caridade".

A vida me ensinou que as pessoas são amigáveis??, se eu sou amável,
que as pessoas são tristes, se estou triste,
que todos me querem, se eu os quero,
que todos são ruins, se eu os odeio,
que há rostos sorridentes, se eu lhes sorrio,
que há faces amargas, se eu sou amargo,
que o mundo está feliz, se eu estou feliz,
que as pessoas ficam com raiva quando eu estou com raiva,
que as pessoas são gratas, se eu sou grato.
A vida é como um espelho: se você sorri para o espelho, ele sorri de volta. A atitude que eu tome perante a vida é a mesma que a vida vai tomar perante mim.
“Quem quer ser amado, ame".

Charles Chaplin... Sempre profundo.


A vida me ensinou...

"A dizer adeus às pessoas que amo, Sem tira-las do meu coração; Sorrir às pessoas que não gostam de mim, Para mostrá-las que sou diferente do que elas pensam; Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade, Para que eu possa acreditar que tudo vai mudar; Calar-me para ouvir; Aprender com meus erros . Afinal eu posso ser sempre melhor. A lutar contra as injustiças; Sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas dores para o mundo, A ser forte quando os que amo estão com problemas; Ser carinhosa com todos que precisam do meu carinho; Ouvir a todos que só precisam desabafar; Amar aos que me machucam ou querem fazer de mim depósito de suas frustrações e desafetos; Perdoar incondicionalmente, Pois já precisei desse perdão; Amar incondicionalmente, Pois também preciso desse amor; A alegrar a quem precisa; A pedir perdão; A sonhar acordada; A acordar para a realidade (sempre que fosse necessário); A aproveitar cada instante de felicidade; A chorar de saudade sem vergonha de demonstrar;(Já fiz d+ esse ano) Me ensinou a ter olhos para "ver e ouvir estrelas", embora nem sempre consiga entendê-las; A ver o encanto do pôr-do-sol; A sentir a dor do adeus e do que se acaba, sempre lutando para preservar tudo o que é importante para a felicidade do meu ser; A abrir minhas janelas para o amor; A não temer o futuro; Me ensinou e esta me ensinando a aproveitar o presente, como um presente que da vida recebi, e usá-lo como um diamante que eu mesma tenha que lapidar, lhe dando forma da maneira que eu escolher. Sou feliz amo minha vida, minha família, meus amigos, meus colegas, meus rivais!!!"

Créditos:( Charles Chaplin )

quinta-feira, 29 de março de 2012

Ser transparente.


Às vezes, fico me perguntando por que é tão difícil Ser Transparente... .
Costumamos acreditar que Ser Transparente é simplesmente ser sincero, não enganar os outros. Mas “Ser Transparente” é muito mais do que isso...
É ter coragem de se expor, de ser frágil, de chorar, de falar do que a gente sente...
...Ser transparente é desnudar a alma, é deixar cair as “máscaras”, baixar as armas, destruir os imensos e grossos muros que insistimos tanto em nos empenhar para levantar...
Ser transparente é permitir que toda a nossa doçura aflore, desabroche, transborde...
Mas, infelizmente, quase sempre, a maioria de nós decide não correr esse risco. Preferimos a dureza da razão à leveza que exporia toda a fragilidade humana....
Preferimos o “nó na garganta” às lágrimas que brotam do mais profundo de nosso ser...
Preferimos nos perder numa busca insana por respostas imediatas a simplesmente nos entregar diante de Deus e admitir que não sabemos, que temos medo!
Por mais doloroso que seja ter de construir uma ‘máscara’ que nos distancia cada vez mais de quem realmente somos e até do nosso Deus... preferimos assim: manter uma imagem que nos dê a sensação de proteção...
E assim vamos nos afogando mais e mais em falsas palavras, em falsas atitudes, em falsos sentimentos... Não porque sejamos pessoas mentirosas!...
Mas porque, como folhas secas, nos perdemos de nós mesmos e já não sabemos onde está nossa brandura, nosso amor mais intenso e não-contaminado...
Com o passar dos anos, um vazio frio e escuro nos faz perceber que já não sabemos dar e nem pedir o que de mais precioso temos a compartilhar com os irmãos... doçura, compaixão... compreensão... de que todos nós sofremos e às vezes nos sentimos sós, imensamente tristes e choramos baixinho antes de dormir... Num silêncio que nos remete à saudade de “nós mesmos” ...daquilo que pulsa e grita dentro de nós, mas que não temos coragem de mostrar àqueles que mais amamos!
Porque, infelizmente, aprendemos que é melhor revidar, descontar, agredir, acusar, criticar e julgar do que simplesmente dizer: “você está me machucando... Pode parar, por favor!” . Porque aprendemos que dizer isso é ser fraco, é ser bobo, é ser menos do que o outro... Quando, na verdade, se agíssemos deixando que a nossa razão ouvisse também o nosso coração, poderíamos evitar tanta dor... Tanta dor!...
Que consigamos não prender o choro, não conter a gargalhada, não esconder tanto o nosso medo, não desejar parecer tão invencíveis... Que consigamos tentar não controlar tanto, responder tanto, competir tanto... Mas confiar na Graça do Senhor Jesus Cristo , que nos basta... "Não devemos ter medo dos confrontos.... Mas sugiro que deixemos explodir toda a nossa doçura! "
A inteligência sem amor nos faz perversos. A justiça sem amor nos faz implacáveis... A diplomacia sem amor nos faz hipócritas. O êxito sem amor nos faz arrogantes... A riqueza sem amor nos faz avaro... A pobreza sem amor nos faz orgulhosos... A beleza sem amor nos faz fúteis. A autoridade sem amor nos faz tiranos. “Ame, simplesmente ame!"
E quando, algumas vezes, NÃO encontramos as palavras adequadas para expressar o que sentimos; seja por timidez ou porque os sentimentos nos avassalam; nesses casos podemos contar com o idioma dos abraços... A vida sem amor... ... não tem qualquer sentido! “Ame, simplesmente ame!" O trabalho sem amor nos faz escravos. A simplicidade sem amor nos deprecia. A lei sem amor nos oprime. A política sem amor nos deixa egoístas. A fé sem amor nos deixa fanáticos. A cruz sem amor se converte em tortura.
“Lembrando que “a vida é tão curta e a tarefa de vive-la é tão difícil que quando começamos a aprende-la, já é hora de partir...
“ Sigamos na certeza de que.... TUDO PASSA...

Milho de Pipoca


Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho para sempre.

Assim acontece com a gente. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo.

Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosa.

Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser. Mas, de repente, vem o fogo. O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: A dor.

Pode ser fogo de fora: Perder um amor, perder um filho, o pai, a mãe, perder o emprego ou ficar pobre.

Pode ser fogo de dentro: Pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimento, cujas causas ignoramos.

Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo!
Sem fogo o sofrimento diminui. Com isso, a possibilidade da grande transformação também.

Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro cada vez mais quente, pensa que sua hora chegou: vai morrer.

Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar um destino diferente para si. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz.

Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece: BUM!

E ela aparece como uma outra coisa completamente diferente, algo que ela mesma nunca havia sonhado.

Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar. São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem. A presunção e o medo são a dura casca do milho que não estoura. No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras pela vida inteira.

Transforme-se na flor branca, macia e nutritiva. Mude! A escolha só depende de você: Milho para sempre ou pipoca.


Eita cabecinha dura de milho... sofre, sofre, mas não aprende!

Créditos:(Rubem Alves)

terça-feira, 27 de março de 2012

PRECISA-SE.


Precisa-se...
De pessoas que tenham os pés na terra e a cabeça nas estrelas.
Capazes de sonhar, sem medo se seus sonhos.
Tão idealistas que transformem seus sonhos em metas.
Pessoas tão práticas que sejam capazes de tornar suas metas em realidade.
Pessoas determinadas que nunca abram mão de construir seus destinos e arquitetar suas vidas.
Que não temam mudanças e saibam tirar proveito delas.
Que tornem seu trabalho objeto de prazer e uma porção substancial de realização pessoal.
Que percebam, na visão e na missão de suas empresas, um forte impulso para sua própria motivação.
Pessoas com dignidade, que se conduzam com coerência em seus discursos, seus atos, suas crenças e seus valores.
Precisa-se de pessoas que questionem, não pela simples contestação, mas pela necessidade íntima de só aplicar as melhores ideias.
Pessoas que mostrem sua face serena de parceiros legais, sem se mostrar superiores nem inferiores, mas iguais.
Precisa-se de pessoas ávidas por aprender e que se orgulhem de absorver o novo.
Pessoas de coragem para abrir caminhos, enfrentar desafios, criar soluções, correr riscos calculados sem medo de errar.
Precisa-se de pessoas que construam suas equipes e se integrem nelas.
Que não tomem para si o poder, mas saibam compartilhá-lo.
Pessoas que não se empolguem com o seu próprio brilho, mas com o brilho do resultado alcançado em conjunto.
Precisa-se de pessoas que enxerguem as árvores mas também prestem atenção na magia da floresta: que tenham a percepção do todo e da parte.
Seres humanos justos, que inspirem confiança e demonstrem confiança nos parceiros, estimulando-os, energizando-os, sem receio que lhe façam sombra e sim orgulhando-se deles.
Precisa-se de pessoas que criem em torno de si um ambiente de entusiasmo, de liberdade, de responsabilidade, de determinação, de respeito e de amizade.
Precisa-se de seres racionais. Tão racionais que compreendam que sua realização pessoal está atrelada à vazão de suas emoções.
É na emoção que encontramos a razão de viver.
Precisa-se de gente que saiba administrar COISAS e liderar PESSOAS.
Precisa-se urgentemente de repensar um novo ser...

(Autor desconhecido)

sexta-feira, 23 de março de 2012

Ser criança.


Ser criança
é ser Feliz,
correr,
brincar,
ser da vida
um aprendiz,
ter momentos mágicos,
amigos imaginários,
ter sujo o nariz.

Ser criança é ser feliz,
correr,
brincar até cansar

ser um petiz,
ser índio,
Cowboy,
ou mesmo
o mocinho,

é ser frágil,
forte,
passarinho,
ser menino,
menina,
sorridentes
é ter colinho.

É ter liberdade para voar,
fazer arte nas paredes,
dormir com o gatinho,

Ser crinaça é ser livre
para conquistar o mundo,
conhecer o mato,
pisar na água da chuva,
sujar de chocolate
o sofá da mamâe,

é fazer beicinho,
ser engraçadinho,
ser criança
é ser bem feliz.

É subir nas árvores,
ficar por um triz,
é fazer traquinagem
o dia todo,
a noite dormir
como um anjinho!

Créditos.Daniel Fiuza

"A lição dos Balões".


Era uma tarde de domingo e o parque estava repleto de pessoas que aproveitavam o dia ensolarado para passear e levar seus filhos para brincar.
O vendedor de balões havia chegado cedo, aproveitando a clientela infantil para oferecer seu produto e defender o pão de cada dia.
Como bom comerciante, chamava atenção da garotada soltando balões para que se elevassem no ar, anunciando que o produto estava à venda.
Não muito longe do carrinho, um garoto negro observava com atenção.
Acompanhou um balão vermelho soltar-se das mãos do vendedor e elevar-se lentamente pelos ares.
Alguns minutos depois, um azul, logo mais um amarelo, e finalmente um balão de cor branca.
Intrigado, o menino notou que havia um balão de cor preta que o vendedor não soltava. Aproximou-se meio sem jeito e perguntou: "moço, se o senhor soltasse o balão preto, ele subiria tanto quanto os outros?"
O vendedor sorriu, como quem compreendia a preocupação do garoto, arrebentou a linha que prendia o balão preto e, enquanto ele se elevava no ar, disse-lhe:
"Não é a cor, filho, é o que está dentro dele que o faz subir."
O menino deu um sorriso de satisfação, agradeceu ao vendedor e saiu saltitando, para confundir-se com a garotada que coloria o parque naquela tarde ensolarada.

fonte : http://www.melodia.com.br

segunda-feira, 19 de março de 2012

APRENDI...


Um dia desses, enquanto aguardava a vez na sala de espera, percebi, solta entre as revistas, uma folha de papel.

A curiosidade fez com que a tomasse, para ler o que estava escrito. Era uma bela mensagem que alguém havia escrito.

O título era interessante e curioso: Aprendi...

Dizia mais ou menos o seguinte:

Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém; posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência, para que a vida faça o resto.

Aprendi que não importa o quanto certas coisas sejam importantes para mim. Tem gente que não dá a mínima e eu jamais conseguirei convencê-las.

Aprendi que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos; que posso usar meu charme por apenas 15 minutos, depois disso, preciso saber do que estou falando.

Eu aprendi... que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida; que, por mais que se corte um pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces, e o mesmo vale para tudo o que cortamos em nosso caminho.

Aprendi... que vai demorar muito para me transformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência.

Mas aprendi, também, que posso ir além dos limites que eu próprio coloquei.

Aprendi que preciso escolher entre controlar meus pensamentos ou ser controlado por eles; que os heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sentem.

Aprendi que perdoar exige muita prática; que há muita gente que gosta de mim, mas não consegue expressar isso.

Aprendi... que nos momentos mais difíceis a ajuda veio justamente daquela pessoa que eu achava que iria tentar piorar as coisas.

Aprendi que posso ficar furioso, tenho o direito de me irritar, mas não tenho o direito de ser cruel; que jamais posso dizer a uma criança que seus sonhos são impossíveis, pois seria uma tragédia para o mundo se eu conseguisse convencê-la disso.

Eu aprendi que meu melhor amigo vai me machucar de vez em quando, e que eu tenho que me acostumar com isso; que não é o bastante ser perdoado pelos outros, eu preciso me perdoar primeiro.

Aprendi que, não importa o quanto meu coração esteja sofrendo, o mundo não vai parar por causa disso.

Eu aprendi... que as circunstâncias de minha infância são responsáveis pelo que eu sou, mas não pelas escolhas que eu faço quando adulto.

Aprendi que, numa briga, eu preciso escolher de que lado estou, mesmo quando não quero me envolver; que, quando duas pessoas discutem, não significa que elas se odeiem; e quando duas pessoas não discutem não significa que elas se amem.

Aprendi que por mais que eu queira proteger os meus filhos, eles vão se machucar e eu também. Isso faz parte da vida.

Aprendi que a minha existência pode mudar para sempre, em poucas horas, por causa de gente que eu nunca vi antes.

Aprendi também que diplomas na parede não me fazem mais respeitável ou mais sábio.

Aprendi que as palavras de amor perdem o sentido, quando usadas sem critério.

E que amigos não são apenas para guardar no fundo do peito, mas para mostrar que são amigos.

Aprendi que certas pessoas vão embora da nossa vida de qualquer maneira, mesmo que desejemos retê-las para sempre.

Aprendi, afinal, que é difícil traçar uma linha entre ser gentil, não ferir as pessoas, e saber lutar pelas coisas em que acredito.

Crédito: William Shakespeare.

domingo, 18 de março de 2012

O PRINCÍPIO 90 / 10


Os 10% da vida estão relacionados com o que se passa com você,
os outros 90% da vida estão relacionados com a forma como
você reage ao que se passa com você.

O que isto quer dizer?

Realmente, nós não temos controle sobre 10% do que nos sucede.
Não podemos evitar que o carro enguice, que o avião atrase,
que o semáforo fique no vermelho.
Mas, você é quem determinará os outros 90%.

Como?

Com sua reação.

Exemplo: você está tomando o café da manhã com sua família.
Sua filha, ao pegar a xícara, deixa o café cair na sua camisa branca de trabalho.
Você não tem controle sobre isto.
O que acontecerá em seguida será determinado por sua reação.

Então, você se irrita. Repreende severamente sua filha
e ela começa a chorar. Você censura sua esposa por ter colocado
a xícara muito na beirada da mesa.
E tem prosseguimento uma batalha verbal.

Contrariado e resmungando, você vai mudar de camisa.
Quando volta, encontra sua filha chorando mais ainda
e ela acaba perdendo o ônibus para a escola.
Sua esposa vai pro trabalho, também contrariada.
Você tem de levar sua filha, de carro, pra escola.
Como está atrasado, dirige em alta velocidade e é multado.

Depois de 15 min. de atraso, uma discussão com o guarda de trânsito
e uma multa, vocês chegam à escola, onde sua filha entra,
sem se despedir de você.

Ao chegar atrasado ao escritório, você percebe que esqueceu de sua maleta.
Seu dia começou mal e parece que ficará pior.
Você fica ansioso pro dia acabar e quando chega em casa,
sua esposa e filha estão de cara fechada, em silêncio e frias com você.

Por quê?

Por causa de sua reação ao acontecido no café da manhã.

Pense:

Por quê seu dia foi péssimo?

A) por causa do café?
B) por causa de sua filha?
C) por causa de sua esposa?
D) por causa da multa de trânsito?
E) por sua causa?

A resposta correta é a E.

Você não teve controle sobre o que aconteceu com o café,
mas o modo como você reagiu naqueles 5 minutos
foi o que deixou seu dia ruim.

O café cai na sua camisa. Sua filha começa a chorar.
Então, você diz a ela, gentilmente:
está bem, querida, você só precisa ter mais cuidado.

Depois de pegar outra camisa e a pasta executiva,
você volta, olha pela janela e vê sua filha pegando o ônibus.
Dá um sorriso e ela retribui, dando adeus com a mão.

Notou a diferença?

Duas situações iguais, que terminam muito diferente.

Por quê?

Porque os outros 90% são determinados por sua reação.

Aqui temos um exemplo de como aplicar o Princípio 90/10.
Se alguém diz algo negativo sobre você, não leve a sério,
não deixe que os comentários negativos te afetem.
Reaja apropriadamente e seu dia não ficará arruinado.

Como reagir a alguém que te atrapalha no trânsito?
Você fica transtornado?
Golpeia o volante? Xinga? Sua pressão sobe?
O que acontece se você perder o emprego?
Por quê perder o sono e ficar tão chateado?
Isto não funcionará.
Use a energia da preocupação para procurar outro trabalho.
Seu vôo está atrasado, vai atrapalhar a sua programação do dia.
Por quê manifestar frustração com o funcionário do aeroporto?
Ele não pode fazer nada.
Use seu tempo para estudar, conhecer os outros passageiros.
Estressar-se só pioram as coisas.

Agora que você já conhece o Princípio 90/10, utilize-o.
Você se surpreenderá com os resultados e não se arrependerá de usá-lo.

Milhares de pessoas estão sofrendo de um stress que não vale a pena,
sofrimentos, problemas e dores de cabeça.
Todos devemos conhecer e praticar o Princípio 90/10.

Pode mudar a sua vida!

Créditos:-Stephen Covey-

Perfeito!!! Um texto para nos dar uma sacudida... muito bom... Não sei quem disse que: Quem quer fazer, arruma um meio; quem não quer, uma desculpa...


Você já reparou quantas vezes deixamos de tomar certas decisões fundamentais para nossas vidas ou de fazer certas escolhas que poderiam modificar completamente o cenário atual baseando-nos em ‘desculpas’? Isto é, por medo de olhar para nós mesmos e nos questionar que caminho desejamos seguir, compreendendo que cada caminho tem seus prós e seus contras, preferimos viver acomodados na mediocridade. A cada hora temos um novo problema, um outro obstáculo. Agora não podemos conversar sobre a relação porque o outro anda muito cansado por conta do trabalho. Será mesmo? Ou será que temos medo do que vamos ouvir ou de não conseguirmos falar tudo o que gostaríamos?

Agora não podemos iniciar uma atividade física porque não temos dinheiro. Estamos investindo na educação dos filhos. Será mesmo? Ou será que não queremos arcar com a disciplina que um novo compromisso exige de nós? Agora não podemos rever nossas escolhas profissionais e arriscar uma nova área porque faltam apenas 10 anos para a aposentadoria. Será mesmo? Ou será que temos receio de optar pelo desconhecido e enfrentar novos desafios? E assim a vida vai passando... De repente, os filhos cresceram, o amor esfriou e perdeu o brilho, o trabalho já não realiza e a tão esperada aposentadoria serve para nos deixar ainda mais enfadonhos e vazios...

E pra não perder o costume, estes então se tornam os nossos novos problemas. Estou velho demais pra recomeçar. Já passou muito tempo; é melhor deixar as coisas como estão. Meus netos vão precisar de mim; preciso estar aqui para cuidar deles.

Mas... e você? Cadê você? Quem é você? O que você realmente quer? O que faz o seu coração bater mais forte? Quais são seus mais íntimos desejos? Você justificou-se a vida toda com ‘desculpas’, mas quais são os verdadeiros fatos? Muitos de nós têm passado ano após ano ‘em obras’; sempre inventando uma nova reforma, sempre quebrando e consertando os mesmos lugares dentro da gente, numa tentativa insana de acreditar que algo vai mudar. Mas nada muda! Continua sempre igual, porque não tem você, não tem seu coração, não tem sua alma.

E quando você descobre que os problemas não existiam, mas que você passou tanto tempo insistindo em inventá-los, já não sabe como voltar para o seu caminho. Perdeu-se. Sabe o que há de bom nisso? Enfim você descobriu e agora pode se reencontrar, se reinventar, desbravar um novo caminho. Começar uma nova viagem. Fazer novos planos. Entretanto, há uma condição: que você não fique dando voltas, pegando atalhos, desvios ou retornos só para evitar o desconhecido.

Vá em frente, porque ainda que lhe restasse apenas um dia de vida, mas você percebesse que o que ainda não foi vivido está aí para ser experimentado e sentido, tudo seria novo. Portanto, saiba que, algumas vezes, o novo é realmente assustador, mas que ter medo é humano. Deixar-se paralisar por causa dele é subestimar a sua coragem e o seu potencial.

Cuidado com as obras que tem feito desnecessariamente em seu caminho. Cuidado com as ‘desculpas’ que tem dado para fugir de si mesmo. Dedique a cada um o tempo que for de cada um, sem negligenciar sua vida em nome daquilo que nunca foi e nunca será um fato. Porque o fato é que você precisa descobrir a que veio... para que quando partir, tenha feito diferença!


"SER PROFUNDAMENTE AMADO POR ALGUÉM NOS DÁ FORÇA, AMAR ALGUÉM PROFUNDAMENTE NOS DÁ CORAGEM." (Lao Tsé)

Créditos:Blog Somos todos um.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Poesia é tudo.


Separados sem distância.

Caminhamos bem próximos e sós...
Entre nós, uma cerca viva de hibiscos
nos impede de saber que logo ao lado
alguém mistura ao som dos passos
o sonho de um momento que não chega.

Certo dia, no cinema, você optou por ficar
uma fila acima (ou abaixo) de onde eu estava.
Minhas mãos sentiram a ausência do toque da sua.
Ao final do filme sentimos falta um do outro
para partilhar as sensações do momento.

Já assistimos a um mesmo show.
Cantamos juntos e emocionados a mesma música,
separados tão somente pela pequena multidão da platéia.

Fomos, por direito de êxtase,
donos da mesma lua cheia,
assistida e saboreada na mesma noite,
no mesmo momento.
Eu no cinza da calçada, imaginando o reflexo de prata
desenhando aquela lua no brilho dos seus olhos.
Você deixando o desenho dos pés nus
na areia da praia, imaginando onde estaria eu.

E assim é...
Verdadeiramente não nos conhecemos.
Sabemos apenas da existência um do outro.
Somos íntimos dessa força que
hora nos mantém afastados,
mas que já prepara a celebração
de um encontro arquitetado
na dimensão da poesia.


Créditos:Leilton Lima.(Jornalista,roteirista, editor, repórter,diagramador, fotógrafo, radialista, redator de TV e poeta)

14 de março dia nacional da poesia.


Os meus errinhos.

Está bem, eu confesso que errei.
Eu errei, está bem, me dê zero!
Me dê bronca, castigo, conselho.
Mas eu tenho o direito de errar.

Só o que eu peço é que saibam
Que eu necessito errar.
Se eu não errar vez por outra
Como é que eu vou aprender
Como se faz pra acertar?

Pais, professores, adultos
Também já erraram à vontade,
Já fizeram sujeira e borrão.
Ou vai dizer que a borracha
Surgiu só nesta geração?

Vocês que errando aprenderam,
Ouçam o que eu tenho a falar:
Se até hoje cometem seus erros,
Só as crianças não podem errar?

Concordem, eu estou aprendendo.
Comparem meus erros com os seus,
Se já cometeram os seus erros,
Deixem-me agora com os meus!

Pedro Bandeira

terça-feira, 13 de março de 2012

"Amor a toda prova".


"Amor a Toda Prova", dirigido por Glenn Ficarra e John Requa, destaca a necessidade que temos em encontrar alguém com quem dividir a vida e as dificuldades em fazer com que esta tarefa dê certo. É uma boa lição sobre relacionamentos, principalmente aqueles em crise, desgastados pela rotina. Só que, em vários momentos, toma caminhos hilários de forma a provocar o riso fácil. Do elenco fazem parte os excelentes: Steve Carell, Julianne Moore, Ryan Gosling, Emma Stone, Kevin Bacon e Marisa Tomei. Equilibrando-se bem entre a comédia, o drama e o romance, “Amor a Toda Prova” é ótimo e merece ser visto.

terça-feira, 6 de março de 2012

As coisas que aprendi na vida.


Aprendi que não importa o quanto eu me importe, algumas pessoas simplesmente não se importam.

Aprendi que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai ferir-me de vez em quando. Mas eu preciso perdoá-la por isto.


Aprendi que falar pode aliviar minhas dores emocionais.

Aprendi que se leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la.

Aprendi que verdadeiras amizades continuam a crescer, mesmo a longas distâncias.

Aprendi que eu posso fazer, em instantes, coisas das quais me arrependerei pelo resto da vida

Aprendi que o que importa não é o que eu tenho na vida, mas quem eu tenho na vida.

Aprendi que os membros de minha família são os amigos que não me permitiram escolher.

Aprendi que não tenho que mudar de amigos, e, sim, compreender que os amigos mudam.

Aprendi que as pessoas com quem eu mais me importava na vida me foram tomadas muito depressa.

Aprendi que devo deixar sempre as pessoas que amo com palavras amorosas. Pode ser a última vez que as vejo.

Aprendi que as circunstâncias e o ambiente têm influência sobre mim, mas eu sou responsável por mim mesmo.



Aprendi que não devo me comparar aos outros, mas com o melhor que posso fazer.

Aprendi que não importa até onde eu chegue, mas para onde estou indo.

Aprendi que não importa quão delicado e frágil seja algo, sempre existem dois lados.

Aprendi que vou levar muito tempo para eu me tornar a pessoa que quero ser.

Aprendi que eu posso ir mais longe depois de pensar que não posso mais.

Aprendi que ou eu controlo meus atos ou eles me controlarão.

Aprendi que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário, enfrentando as conseqüências.

Aprendi que ter paciência requer muita prática.

Aprendi que existem pessoas que me amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar isso.

Aprendi que meu melhor amigo e eu podemos fazer muitas coisas, ou nada, e termos bons momentos juntos.

Aprendi que a pessoa que eu espero que me pise, quando eu estiver caído, é uma das poucas que me ajudarão a levantar.

Aprendi que há mais dos meus pais em mim do que eu supunha.

Aprendi que quando estou com raiva, tenho direito de estar com raiva. Mas isto não me dá o direito de ser cruel.

Aprendi que só porque alguém não me ama do jeito que eu quero não significa que esse alguém não me ame com tudo que pode.

Aprendi que a maturidade tem mais a ver com os tipos de experiências que eu tive, e o que aprendi com elas, do que com quantos aniversários já celebrei.

Aprendi que nunca devo dizer a uma criança que sonhos são bobagens, ou que estão fora de cogitação. Poucas coisas são mais humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse em mim.

Aprendi que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, tenho que aprender a perdoar a mim mesmo.

Aprendi que não importa em quantos pedaços meu coração foi partido. O mundo não pára para que eu o conserte.

Apenas aprendi...


As coisas que aprendi na vida!



Créditos:William Shakespeare

domingo, 4 de março de 2012

Uma flor para você.


Havia uma jovem muito rica, que tinha tudo: um marido maravilhoso, filhos perfeitos, um emprego que lhe pagava muitíssimo bem, uma família unida.
O estranho é que ela não conseguia conciliar tudo isso, o trabalho e os afazeres lhe ocupavam todo o tempo e a sua vida estava deficitária em algumas áreas.
Se o trabalho lhe consumia muito tempo, ela tirava dos filhos, se surgiam problemas, ela deixava de lado o marido…
E assim, as pessoas que ela amava eram sempre deixadas para depois.
Até que um dia, seu pai, um homem muito sábio, lhe deu um presente:
uma flor muito cara e raríssima, da qual havia apenas um exemplar em todo o mundo.
E disse à ela:
- Filha, esta flor vai te ajudar muito mais do que você imagina!
Você terá apenas que regá-la e podá-la de vez em quando, ás vezes conversar um pouquinho com ela, e ela te dará em troca esse perfume maravilhoso e essas lindas flores.
A jovem ficou muito emocionada, afinal a flor era de uma beleza sem igual.
Mas o tempo foi passando, os problemas surgiam, o trabalho consumia todo o seu tempo, e a sua vida, que continuava confusa, não lhe permitia cuidar da flor.
Ela chegava em casa, olhava a flor e as flores ainda estavam lá, não mostravam sinal de fraqueza ou morte, apenas estavam lá, lindas, perfumadas.
Então ela passava direto. Até que um dia, sem mais nem menos, a flor morreu.
Ela chegou em casa e levou um susto! Estava completamente morta, suas raízes estavam ressecadas, suas flores caídas e suas folhas amarelas.
A jovem chorou muito, e contou a seu pai o que havia acontecido.
Seu pai então respondeu:
- Eu já imaginava que isso aconteceria, e eu não posso te dar outra flor, porque não existe outra igual a essa, ela era única, assim como seus filhos, seu marido e sua família.
Todos são bênçãos que o Senhor te deu, mas você tem que aprender a regá-los, podá-los e dar atenção a eles, pois assim como a flor, os sentimentos também morrem. Você se acostumou a ver a flor sempre lá, sempre florida, sempre perfumada, e se esqueceu de cuidar dela.

Cuide das pessoas que você ama!

autor desconhecido

Cuidar.


Texto maravilhoso.

“Muitas pessoas querem ser cuidadas. Poucas pessoas querem cuidar. Saber cuidar é uma arte ,difícil de ser entendida, assimilada, bem-feita e não desviada do rumo.
Cuidar exige força psicológica, emocional, racional e física. Exige sabedoria para não nos deixarmos levar pelo caminho mais fácil. Cuidar é amar sem estragar. Cuidar é colocar limites, é também dizer não. Cuidar nada tem a ver com mimar, que isso fique claro para nós e principalmente para nossos filhos. Cuidar é ir além. Cuidar é se colocar no lugar do que é cuidado e ver pelo seu olhar. Cuidar é buscar a felicidade do outro, não apenas a nossa. Cuidar é também não se deixar levar pelo desespero do outro e tentar ajudá-lo a ver uma luz, enquanto o outro só vê trevas.
Cuidar é sublimar a nossa vontade e buscar o melhor do outro para mostrar a ele. É incentivar, é desafiar o esforço maior que o outro possa ter, para resolver seus próprios problemas.É estar ao lado para rir e chorar juntos, mas não para viver a vida alheia. É entender e abraçar. É sorrir sem precisar de razão. É ouvir sem julgar. É falar a verdade sem machucar. É silenciar e estar presente se precisar. É não cobrar. É ensinar, é também aprender. É não perguntar porque.
Cuidar é não perder a paciência fácil. Cuidar é ajudar o outro a ir para frente com suas próprias possibilidades. Cuidar é ver feliz o outro florescer. Cuidar é amar sem pedir nada em retorno. Cuidar é ser companheiro até o fim. Cuidar é mergulhar de mãos dadas no escuro do medo e do incerto e sair do outro lado JUNTOS.”

Crédito:Cris Lotaif

sábado, 3 de março de 2012

Um pouco sobre a Literatura Infantil e Poesia.


A literatura surgiu na oralidade muito antes da escrita, a e literatura infantil foi utilizada também para atender a uma demanda de controle da sociedade, de manipulação das massas passando uma ideologia dominadora.

O texto não é apenas um argumento, uma ferramenta para alfabetizar. Mas ao mesmo tempo a literatura é a forma mais natural de se chegar à alfabetização. Daí a necessidade de se usar critérios de seleção do livro literário.

O espaço e o tempo para a literatura na escola devem ser planejados cuidadosamente, com objetivos e estratégias claras. Pois, para gostar de ler o aluno precisa experimentar, entrar em contato com o livro. E caso essa experiência seja traumática, mal planejada ou mesmo considerada como sem importância pelo professor, o aluno não construirá uma relação de prazer com a literatura e não se tornará um adulto leitor. A literatura deve ser apresentada de maneira agradável já que não é uma leitura fácil.

O não acesso ao livro, ao ambiente letrado é uma questão social, de falta não apenas de conhecimento, mas de condições.

É BOM LEMBRAR:

Observações já bem conhecidas no que se refere a ler e contar histórias, mas nem sempre colocadas em prática.

Aproveitar as experiências individuais dos alunos.
Falar dos autores do livro: o escritor e o ilustrador.
Ler diferentes textos sobre o mesmo assunto.
Observar as características dos personagens.
Observar o ambiente e o tempo em que se passa a história.
Prepare o ambiente.
Use objetos e fantasias para concretizar a história para a criança.

Coletânea de Histórias

No texto: A literatura e a formação do professor leitor, de Tânia Piacentini. A autora nos lembra que literatura é uma forma de expressão artística e enfatiza a importância do trabalho com os pais no sentido de estimulá-los a ler, já que a criança imita o que vê nos seu ambiente. Outras questões levantadas foram a relação da escola com a literatura, a interpretação do texto, que deve ir além de apenas identificar sua “moral”, a formação do professor leitor.

Algumas citações que ilustram essas idéias:

“A leitura que une a imensa confraria dos leitores, aquela que é comum e disponível a todos é a leitura literária, pois é na literatura, em suas diferentes formas e desde os mais remotos tempos, que a humanidade tem repertoriado, reunido a sua própria história. Com a mais rica linguagem que foi capaz de criar, a humanidade tem explicado para todos e para cada um as nossas origens, as nossas crenças, os nossos mitos, as nossas alegrias e os nossos sofrimentos.”

“...a leitura começa antes da vida escolar e é influenciada por outras instâncias e personagens, além da biblioteca escolar e do professor. Para ser breve, basta lembrar que criança aprende qualquer coisa imitando o adulto, e a formação do leitor começa pelo exemplo de um pai ou de uma mãe lendo ou contando histórias, de um adulto lendo um jornal, uma revista ou um livro, freqüentando bibliotecas e livrarias, valorizando a cultura escrita. A leitura é também uma questão econômica e política.”

“Na vida escolar, entretanto, os alunos recebem uma dose intensa e concentrada de influência literária, pois é aí que a literatura ganha o status de disciplina e a leitura torna-se obrigatória e, muitas vezes, é imposta. Daí a relevância da relação entre a escola e a literatura. O que eu entendo como respeito à literatura, como uma não mutilação da poesia e da ficção na e pela escola é, primordialmente, a compreensão da especificidade da palavra literária, da literatura como arte.”

“Na preparação do professor para o exercício de seu papel de adulto mediador da leitura, todos devem ser incentivados a discutir suas concepções de leitura, a questionar a função da literatura na escola. Mas, principalmente, todos devem ser instigados e desafiados a ler muito e sempre as obras de ficção e poesia. Quando a literatura faz parte da nossa vida cotidiana, quando a elegemos parceira de nossos mais ricos momentos de lazer, de entretenimento e de aprendizagem, então somos capazes de praticar o paradoxo de uma antiescolarização da leitura no âmbito escolar. Para isso, o professor deve ser um amante da leitura, e, conseqüentemente, um batalhador incansável pela presença de livros e de atividades de leitura na biblioteca da escola e na do seu bairro, na biblioteca da sua cidade. Sem mudanças na mentalidade do professor e na sua prática, a formação de leitores continuará deficiente...”

Talvez o professor não trabalhe com poesia por não ter tido a chance de apreciá-la de se envolver com esse mundo tão encantador. E consequentemente passa a achar que ler por prazer é perda de tempo, e sabemos que o contrário é verdadeiro. Se a criança aprende a gostar de ler, a aprendizagem e o conhecimento serão conseqüência.

Fonte:www.helomartins.com.br

A incapacidade de ser verdadeiro.


Literatura Infantil e Poesia.

“Paulo tinha fama de mentiroso. Um dia chegou em
casa dizendo que vira no campo dois dragões da independência
cuspindo fogo e lendo fotonovelas.
A mãe botou-o de castigo, mas na semana seguinte
ele veio contando que caíra no pátio da escola um
pedaço de lua, todo cheio de buraquinhos, feito

queijo, e ele provou e tinha gosto de queijo. Desta vez
Paulo não só ficou sem sobremesa como foi proibido
de jogar futebol durante quinze dias.
Quando o menino voltou falando que todas as
borboletas da Terra passaram pela chácara de Siá
Elpídia e queriam formar um tapete voador para
transportá-lo ao sétimo céu, a mãe decidiu levá-lo ao
médico. Após o exame, o Dr. Epaminondas abanou a
cabeça:
- Não há nada a fazer, Dona Coló. Este menino é
mesmo um caso de poesia.

Créditos:Carlos Drummond de Andrade

Não esqueça o principal.


O PRINCIPAL NA VIDA…

Conta a lenda que certa mulher pobre com uma criança no colo, passando diante de uma caverna escutou uma voz misteriosa que lá dentro dizia: entre e apanhe tudo que você desejar, mas não se esqueça do principal. Lembre-se, porem, de uma coisa: depois que você sair a porta se fechara para sempre, portanto aproveite a oportunidade, mas não se esqueça do principal…

A mulher entrou na caverna e encontrou muitas riquezas. Fascinada pelo ouro e pelas jóias, pôs a criança no chão e começou a juntar, ansiosamente, tudo o que podia no seu avental. A voz misteriosa falou novamente.

“Você só tem oito minutos.”

Esgotados os oito minutos, a mulher carregada de ouro e pedras preciosas, correu para fora da caverna e a porta se fechou… Lembrou-se, então que a criança ficara lá e a porta estava fechada para sempre!!!

O mesmo acontece, às vezes, conosco.

Temos uns oitenta anos para viver neste mundo e somos advertidos: “Não se esqueça do Principal!…

E o principal são os valores:

Espirituais,

A oração,

A vigilância,

A família,

Os amigos,

a vida!…

Mas a ganância, a riqueza, os prazeres materiais os fascinam tanto que o principal vai ficando sempre de lado…

Assim, esgotamos o nosso tempo aqui e deixamos de lado o essencial:

“os tesouros da alma!”

Que jamais nos esqueçamos:

A vida, neste mundo, passa rápido e a morte chega de inesperado. E quando a porta desta vida se fechar para nós de nada valerão as lamentações. Portanto, que jamais esqueçamos do principal!

Se Deus criou as pessoas para amarmos e as coisas para usarmos, porque então amamos as coisas e usamos as pessoas?

Créditos:http://ensfundamental1.wordpress.com