O senhor é meu pastor e nada me faltará...


anjos - Recados Para Orkut

"Educar com amor".

"Educar com amor".

Um cantinho especial para uma boa e agradável conversa!!!

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

"Águias e carneirinhos".


Você já deve ter lido ou refletido em algum momento sobre a vida de algumas espécies. Não raro, descobrimos bons ensinamentos com a vida das formigas, abelhas, águias, cachorros, golfinhos e por aí vai. Dificilmente você deve ter encontrado alguma coisa sobre a vida dos carneiros, não é mesmo? Mas, sempre há o que ver e aprender. Daí, a opção de produzir uma analogia entre a vida deles e das águias.

A águia é uma ave solitária, poderosa, carnívora, de grande acuidade visual que vive normalmente no topo das montanhas mais altas. Quase sempre, quando nos referimos a ela respiramos fundo, damos ênfase a entonação, empostamos a voz e o fazemos com orgulho e sentimento de poder. Já o carneiro vive em rebanho nas planícies ou em áreas montanhosas abertas e agem sempre de acordo com a maioria do grupo.

Ao citar a espécie, normalmente o fazemos sem muita expressão e, às vezes até recorremos, talvez por pena, ao diminutivo “carneirinho”. Quase sempre, quando chamamos alguém de carneirinho, queremos dizer que se trata de pessoa sem personalidade, de pouco recurso intelectual, medíocre, que não é capaz de tomar as suas próprias decisões e, por isso, prefere aderir as escolhas dos outros.

A águia sabe que os carneirinhos nunca poderão ameaçá-la ao topo da montanha. Elas, como bem disse Elisabeth Küber, pairam majestosas nas alturas, acima do mundo, não para ver as outras espécies de cima, mas sim, para estimulá-las a olhar para cima. Já os carneirinhos, sequer costumam levantar a cabeça, quanto mais olhar para o alto. Passam a vida toda olhando para os seus próprios pés. Com poucos recursos de defesa contra os seus predadores, a sua única opção é andar em grupo seguindo uns aos outros em terreno acidentado, prevenindo-se de ataques dos lobos, ursos e coiotes.

Os carneirinhos sabem que não podem aventurar-se muito distante do grupo, pois incapazes de se protegerem, sentirão solitários, indefesos e vulneráveis. Não se importam com a supremacia das águias, agindo como se elas fossem inofensivas. Eles, no entanto, se esquecem que as águias são mais inteligentes, perspicazes, estratégicas, pacientes... Sabem muito bem esperar o momento da sua reprodução para alimentar-se do seu sangue.

A águia é símbolo de sucesso, força, grandeza, majestade... os carneirinhos se caracterizam pela amistosidade, obediência, disciplina, conformismo, mesmice... O símbolo da águia foi usado em brasões de exércitos, nos estandartes de Ciro, rei dos persas, triunfo de Cristo e do cristianismo, símbolo dos Estados Unidos, etc. O símbolo dos carneirinhos são adotados em histórias românticas ou para distrair a atenção das crianças.

As águias não tem muito a temer. São fortes, voam alto, respiram ar fresco e sabem que a qualquer momento podem capturar a presa que mais lhes convierem. Já os carneirinhos, apesar de serem capazes de frequentar a parte alta da montanha, não ligam para a paisagem, não conseguem respirar ar fresco, pois ficam a maior parte do tempo com o nariz no rabo uns dos outros. O máximo que podem é admirar a sombra das águias que pairam nas alturas a espera do melhor momento de atacarem.

No mundo em que vivemos, há espaço para as águias e os carneirinhos e cada um tem a opção de escolher de que lado deseja estar.

Pense nisso.

Autor:Evaldo Costa

Escritor, consultor, conferencista e professor.

Um comentário:

Ivana Maria disse...

Que belo texto. Amiga, não sei se posso me considerar uma águia, mas, certamente carneirinho eu não sou. Voce ficou sabendo da exoneração agora de 25 gestoras de CMEIS daqui de Natal? O motivo foi declarado pelo secretario da educação qdo indagado por uma das gestoras: - A prefeita precisa dos cargos de vocês. - Ou seja,fica bem entendido que a educação está sendo usada como curral eleitoral. Não me conformo em ser carneirinho por isso denuncio e protesto juntamente com a comunidade prejudicada. Um abraço.